Na data de 2/9/2014 o Tribunal de Justiça (TJ-SP) acolheu o recurso de apelação da Adusp contra a sentença que julgava improcedente a ação da URV. A ação tem como objeto o direito ao recálculo dos vencimentos/proventos em decorrência da conversão deficitária em 6,49% dos salários dos docentes de URVs em reais em 1994, bem como o ressarcimento dessa diferença pelos últimos cinco anos retroativos à data de ingresso da ação, em 22/1/2013.

O recurso foi julgado pela 3ª Câmara de Direito Público do TJ-SP, com votação unânime, tendo tido como relator o desembargador  Camargo Perreira, revisor Antonio Carlos Malheiros e terceiro juiz Marrey Uint. Em defesa da Adusp sustentou oralmente a advogada Lara Lorena.

O acórdão sustentou a defesa da aplicação da lei federal 8.880/1994 a todos os servidores públicos, e não somente aos federais, sendo obrigatória a observância da sua aplicação pelos Estados e Municípios. Observou ainda, em consonância à posição do Superior Tribunal de Justiça, que reajustes supervenientes à lei 8.880/94 não têm o condão de corrigir equívocos decorrentes da conversão dos vencimentos dos servidores em URV e, portanto, não se compensam.

Alegação

EXPRESSO ADUSP

Quer receber notícias frescas direto na sua caixa de entrada?

    Diz o acórdão que “não merece prosperar a alegação da ré [a USP] de que já teria efetuado a conversão dos vencimentos dos autores [os docentes representados pela Adusp na ação] no período reclamado, tendo em vista que os documentos por eles juntados não permitem aferir como foram feitos os cálculos dos vencimentos em causa quando da conversão, devendo a diferença almejada ser apurada na fase de execução”.

    Assim, o TJ-SP deu provimento ao recurso “para julgar procedente a demanda para determinar que a ré providencie a conversão dos vencimentos dos autores, nos termos da lei federal 8.880/94, com o consequente pagamento das diferenças que foram apuradas, respeitada a prescrição quinquenal”.

    A decisão  do TJ-SP ainda está sujeita a interposição de recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), e somente em fase de execução da sentença, uma vez confirmada a decisão do TJ-SP, é que se iniciará a fase de apuração dos valores decorrentes da condenação.

    O acórdão também ainda está sujeito a esclarecimentos, por meio de recurso, no tocante ao alcance dessa decisão: se alcançaria toda a categoria, ou somente os associados da entidade; bem como se beneficiaria também os docentes admitidos posteriormente a março de 1994. A Adusp ingressou em 19/9 com esse procedimento, denominado “embargos de declaração”, visando esclarecer esses tópicos nesta fase do processo, para evitar que a questão seja suscitada na fase final de execução, quando pode acarretar maior morosidade para a conclusão do processo.

    Informativo nº 390

    Fortaleça o seu sindicato. Preencha uma ficha de filiação, aqui!

    LEIA MAIS