O promotor Arthur Pinto Junior, da Promotoria de Saúde Pública do Ministério Público Estadual, recebeu em audiência, em 15/9, comissão composta por profissionais que atuam no Hospital Universitário (HU) e o presidente da Adusp, Ciro Correia, para tratar das propostas e do modo como a Reitoria tem investido contra a vinculação do HU e do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais de Bauru (HRAC, “Centrinho”) à USP.

Pelo HU participaram da reunião o médico Juang H. Chau, representando seus colegas; a nutricionista Ana Lucia D. da Silva, da Divisão de Nutrição e Dietética; os profissionais da Divisão de Farmácia Sandra Brassica e Gustavo Galvão, este chefe da divisão; a professora doutora Eliane Ribeiro, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP e do Laboratório Químico do HU; e a enfermeira Nanci Cristiano, chefe técnica de Divisão, representando o Departamento de Enfermagem.

Todos os participantes manifestaram preocupações com: 1) o modo açodado e impositivo com o qual a Reitoria tem tratado do tema, sem dar o devido espaço para a apreciação sobre a adequação ou não da proposta de desvinculação; 2) a postura enviesada com a qual procura desqualificar o perfil orçamentário do hospital, sem considerar suas especificidades; e 3) a maneira como busca reduzir a relevância das atividades de ensino e pesquisa que o hospital desenvolve, que redundam no atendimento diferenciado em favor da população.

O promotor mostrou grande interesse pelos dados, informações e documentos que lhe foram apresentados. Destacou que acompanha com preocupação a situação e esclareceu que, se necessário, os interessados devem tomar a inciativa de provocar o Ministério Público, diante de qualquer ameaça às atividades desenvolvidas e aos serviços de saúde prestados pelo HU à comunidade e à população, que seja desdobramento da situação provocada pelas ações tomadas pela Reitoria da USP.