Próxima rodada de negociação será no dia 20/10, na Reitoria da USP

No dia 27/9/06, durante a última rodada de negociação com o Cruesp, o Fórum das Seis, demonstrando flexibilidade e efetiva disposição de negociação, propôs ao Cruesp que o reajuste correspondesse à razão entre o que foi realmente arrecadado e a estimativa feita pela Secretaria da Fazenda, no período de janeiro a agosto/2006. A tabela 1, atualizada com os valores da arrecadação de setembro/06, indica estas razões.

Período de 2006

Previsão da Secretaria
da Fazenda
em R$ milhões (A)

Arrecadação
em R$ milhões (B)

Razão (B/A)

1/1 a 31/8

26.454,88

26.020,84

0,9840

1/1 a 30/9

29.826,79

29.461,24

0,9877

 

Dessa forma, como o reajuste de maio/06 foi de 0,75% e o ICV-Dieese do período maio/05 a abril/06 foi de 3,25%, o Fórum das Seis propôs que o reajuste de setembro/06 fosse 98,4% de 2,5% (o que falta, contando os 0,75%, para os 3,25%), isto é, de 2,46%. É importante registrar que muito embora o Cruesp trabalhe com o índice Fipe, o Fórum considera mais adequado estimar perdas salariais pelo índice do Dieese. Note que o mesmo método, mas utilizando os dados de janeiro a setembro/06, indicaria um reajuste de 98,77% de 2,5%, isto é, de 2,47%.

Registre-se que esta proposta insere-se, perfeitamente, dentro do quadro geral proposto pelo próprio Cruesp, com uma grande e importante diferença: não é possível pensar em termos de “tudo ou nada”. Se a estimativa da Secretaria da Fazenda tivesse sido atingida, teríamos reajuste; como não foi, o Cruesp insistiu em reajuste zero, claramente não condizente com o discurso de que professores e funcionários técnico-administrativos, juntamente com os estudantes, constituem o patrimônio mais importante da USP, Unesp e Unicamp. Afinal, 98,4% e 98,77% são cifras significativas de proximidade entre o arrecadado e o estimado pela Secretaria da Fazenda.

É fundamental que os reitores voltem atrás, reajustando imediatamente os salários que estão defasados há muito, pois os 3,25%, que seriam completados em outubro de 2006, correspondem à perda salarial de maio/05 a abril/06!

O Fórum das Seis, respondendo a uma consulta da Presidência do Cruesp, reiterou a importância da realização de uma nova rodada de negociação, o mais breve possível, após a reunião das Comissões Técnicas, que será no dia 16/10, às 14h30, na Reitoria da USP. No dia 11/10, recebemos o ofício Cruesp 47/2006, da mesma data, confirmando para o dia 20/10, às 14h00, também na Reitoria da USP, a próxima rodada de negociação.

Esperamos que o Cruesp compareça para anunciar a aceitação de uma proposta completamente racional e factível. Negá-la significará apenas a disposição de financiar a operação das universidades estaduais pela maior intensificação do arrocho de salários, tornando obviamente contrafactual a tão propalada “importância” de professores e funcionários. Enquanto isso, buscamos interferir para que a Alesp vote a LDO que nos interessa.

 

Matéria publicada no Informativo nº 224