A Diretoria da Adusp manifesta solidariedade às/aos servidoras/es da Universidade de São Paulo (USP) em greve sanitária devido à decisão unilateral da Reitoria, obrigando a volta presencial ao trabalho, sem qualquer fundamentação acadêmica e humana e em atitude discriminatória e de franco desrespeito à vida de milhares de trabalhadoras/es, que não abandonaram e não estão deixando de cumprir com suas obrigações por meio de atividades remotas enquanto, em especial, as aulas presenciais não são retomadas.

A situação é ainda mais grave dada a desconsideração por parte da Reitoria da condição das pessoas que dependem de transporte coletivo, que cuidam de outras pessoas e de mães e pais, e que sequer estão podendo contar com o funcionamento de creches e escolas enquanto desenvolvem suas atividades. Importante registrar que essa atitude unilateral da Reitoria além de discriminatória demonstra mais uma vez a despreocupação da Universidade para com as questões de gênero, visto que ainda recai mais sobre as mulheres a função de cuidar das pessoas próximas.

Assim sendo, a Diretoria da Adusp exorta a Reitoria a respeitar a decisão legítima da assembleia das/os servidoras/es que, no limite diante de tamanha intransigência, deliberou a deflagração de greve sanitária a partir de 9/11. Da mesma forma, considerando também a necessidade de comportamento socialmente exemplar enquanto instituição pública, seja em seu aspecto trabalhista, seja no aspecto humano, conclama a Reitoria a abrir imediatamente um canal efetivo de diálogo com o Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo (Sintusp).

São Paulo, 12 de novembro de 2020
Diretoria da Adusp