Após mais de três anos, o mandado de segurança impetrado pela Associação de Pais e Funcionários da Creche Oeste (APEF) contra a USP, com a finalidade de reverter a desativação daquela unidade — determinada pelo então reitor M.A. Zago e truculentamente imposta em 16/1/2017 — transitou em julgado e foi derrotado. O mandado chegou a ser concedido em primeira instância, mas foi derrubado pelo Tribunal de Justiça (TJ-SP). Os recursos ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) foram rejeitados. Agora, os grupos ligados à defesa das creches da USP procuram retomar a luta pela reabertura da Creche Oeste — o primeiro passo é uma plenária virtual, agendada para esta quarta-feira (12/8), às 18 horas.

“Todos os interessados em que o prédio da Creche Oeste continue ligado às demandas da infância na universidade — entidades, movimentos dentro da universidade, famílias com demanda por creches etc. — estão convidados a debater na plenária virtual”, dizem os organizadores da iniciativa. O link será publicado na página do Facebook da Ocupação Creche Aberta.

Cristiano Buoniconti Camargo, um dos advogados da APEF que atuaram no processo judicial, explica que o STJ e o STF, ao examinar os recursos impetrados, não chegaram a decidir o mérito da causa. “Os recursos não foram decididos no mérito. Em uma primeira apreciação disseram que o tema discutido não tinha repercussão geral. É como se dissessem que o que estávamos discutindo não tinha relevância nacional para chegar a um tribunal superior”, diz.

“Tentamos agravar dessa decisão, mas não tivemos sucesso. Com isso o processo da APEF contrário ao fechamento terminou. Mas ainda é possível tentar pleitos individuais pedindo vagas nas creches da USP, o que eventualmente poderia ajudar para uma reabertura da Creche Oeste”. Confira aqui os autos da ação.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.