O presidente da Comissão Especial de Regimes de Trabalho (CERT),  Osvaldo Novais de Oliveira Junior, respondeu, nesta quarta-feira (22/4), ao ofício encaminhado pela Diretoria da Adusp em 17/4, no qual se reivindica que “os prazos estabelecidos previamente sejam alargados, de modo a desconsiderar o período de distanciamento social e suas consequências”.

De acordo com o presidente da CERT, na última reunião da comissão, “realizada virtualmente já no período de distanciamento social”, foram discutidas “possíveis alterações de prazos pelas razões muito bem expostas” na mensagem da Diretoria da Adusp. “Decidiu-se que, pelas incertezas acerca do calendário acadêmico com a pandemia [...], a CERT não faria alteração de prazos sem antes haver diretrizes claras da Reitoria quanto a possíveis alterações de calendário. Entretanto, cientes das dificuldades que muitos(as) colegas estão enfrentando, os membros da CERT analisarão qualquer pedido de prorrogação de prazo com especial atenção”.

Portanto, “caso cheguem à Adusp relatos sobre a necessidade de alteração de prazo de entrega de relatórios, solicito o favor especial de pedirem para que o(a) docente procure a CERT imediatamente”, conclui Oliveira Junior (confira aqui o ofício assinado por ele).

“A Adusp entende a resposta da CERT como positiva, ainda que fosse mais simples, inclusive para a própria CERT, a prorrogação automática dos prazos de todos os docentes em estágio probatório”, declarou o professor Rodrigo Ricupero, presidente da Adusp. “De toda forma, nossa sugestão é que todos os docentes nesta situação solicitem a prorrogação dos prazos do estágio e consequentemente do relatório”.