A necessidade de prorrogar todos os prazos da pós-graduação, e não somente aqueles relativos a depósito de dissertações e teses, qualificações e defesas agendados ou previstos para ocorrer até 30/6/2020 (os quais já foram prorrogados por seis meses por decisão da Pró-Reitoria de Pós-Graduação-PRPG), levou o presidente da Adusp, professor Rodrigo Ricupero, a encaminhar ofício ao pró-reitor Carlos Gilberto Carlotti Júnior, nesta quarta-feira (8/4), propondo a “suspensão dos prazos que envolvem atividades de todo(a)s aluno(a)s de pós-graduação da USP pelos referidos seis meses, permitindo que todo(a)s tenham garantidas suas condições de pesquisa, possibilitando, ainda, que as bancas sejam realizadas após o retorno à normalidade, mas que também possam ocorrer 100% online, se urgente e desde que não haja necessidade de suporte técnico-administrativo presencial”.

Carlotti Júnior respondeu imediatamente, por e-mail, informando que “o número de pedidos de mudança de prazos é muito grande, já realizamos mais de 1.000 mudanças, e o sistema Janus é individual para cada aluno”. Ainda de acordo com o pró-reitor: “Quando resolvermos os prazos mais urgentes iremos permitir que os prazos posteriores também sejam alterados, a decisão tomada foi para manter as atividades dentro das possibilidades dos nossos servidores de maneira organizada e priorizando os prazos imediatos”. Ele agradeceu à Adusp pela “colaboração e sugestões”.

No ofício encaminhado ao pró-reitor, Ricupero observa que, nas circunstâncias atuais, muito(as) estudantes de pós-graduação (de mestrado, doutorado e pós-doc) que ainda não se encontram na fase final da pesquisa, impedidos de trabalhar em condições adequadas em função das restrições impostas pela epidemia, “irão perder tempo fundamental para a conclusão adequada de suas investigações”, o que poderá prejudicá-las ou até mesmo inviabilizá-las em vista dos prazos originais.

“A circular CoPGr/14/2020, de 23 de março de 2020, pretende solucionar os problemas gerados pela pandemia [...] estabelecendo que ‘a critério do aluno, orientador, CCP e CPG, os depósitos de dissertação e teses e suas respectivas defesas, e exames de qualificação agendados ou que devam ocorrer até 30 junho de 2020, poderão ser postergados por até seis meses da sua data limite’, ficando a cargo de cada docente/pesquisador(a) optar ou não pelas respectivas prorrogações”, diz o ofício. “No entanto, muito(a)s pós-graduando(a)s que não concluíram ou não estão em fase de conclusão de suas pesquisas se encontram, no momento, impedido(a)s de realizar trabalho de campo, de frequentar bibliotecas ou arquivos, de manter adequadamente seus trabalhos em laboratórios, entre outros diversos problemas ocasionados pelo distanciamento social necessário para combater a referida pandemia”.

Por essa razão, conclui a mensagem encaminhada à PRPG, a Diretoria da Adusp “julga fundamental a suspensão dos prazos que envolvem atividades de todo(a)s aluno(a)s de pós-graduação da USP”. Evidentemente, acrescenta, “esta última medida implica a cobrança, por parte desta Pró-Reitoria, do adiamento automático de todos os prazos relativos à pós-graduação junto às agências de fomento (Capes, CNPq, Fapesp etc.), independentemente de pedidos individualizados”. “A valorização e o respeito à qualidade da produção acadêmica da pós-graduação de nossa universidade passam pelas condições de trabalho dadas às pesquisadoras e aos pesquisadores, que, em meio à pandemia da Covid-19, são das mais adversas até então enfrentadas por nossa comunidade”.