[Texto publicado por Rebecca Barret-Fox, Profª Drª de Sociologia nos Estados Unidos, https://anygoodthing.com/2020/03/12/please-do-a-bad-job-of-putting-your-courses-online/. Traduzido e adaptado por Monica Duarte Dantas, Profª Drª da Universidade de São Paulo]
 

Abaixo, trato a questão com a maior seriedade.

Aos meus colegas que estão sendo instruídos a colocar parte ou o todo de seus cursos online, recomendo que façam um trabalho “ruim”. Você não está desenvolvendo uma disciplina online. Além disso, não há qualquer expectativa de que seus estudantes tenham experiência em acompanhar cursos online. Porém, mais do que tudo, na atual circunstância, sua disciplina não é a maior prioridade da vida dele/dela e tampouco da sua. Assim, o melhor é deixar para trás grandes expectativas, pois só assim você poderá ajudar seus alunos/ suas alunas.
 
Se você, sem prévia experiência, está se sentindo forçado a mergulhar na pedagogia específica das disciplinas online, ou mesmo descobrindo que há várias ferramentas que auxiliam os/as estudantes no ensino à distância, POR FAVOR PARE TUDO. PARE AGORA. Pergunte a si mesmo: Eu realmente me preocupo com tais expedientes? (Provavelmente não, caso contrário você já teria explorado tais ferramentas antes). Ou estou tentando apenas provar que consigo trabalhar bem em equipe? (Você consegue sim! Não deixe que a universidade se aproveite de tal tipo de argumentação). Ou, ainda, estou buscando me acalmar, frente a uma pandemia, por meio de expedientes que me façam sentir em um período de normalidade? (Se é este o caso, PARE! DIRECIONE SUAS ENERGIAS PARA ALGO MAIS PRODUTIVO, como atividades que possam atender ao bem comum, como, por exemplo, garantir que crianças, cujas escolas estão fechadas, tenham acesso a alimentos).
 

Lembre-se do seguinte, se você tem a intenção de adotar ferramentas de ensino online:

  • Seus alunos/suas alunas podem conhecer menos de tecnologia do que você, ainda que tenham nascido já na era digital.
  • Muitos irão acessar a internet a partir de seus celulares. Tenha consciência de que eles/elas podem ter pacotes limitados de dados. Além disso, é provável que tenham que reservar suas franquias para assuntos mais importantes do que suas aulas e atividades online.
  • Alunos/alunas que não se inscreveram para disciplinas online não tem obrigação de possuir um computador, internet de alta velocidade, impressora e/ou scanner, ou uma câmera. Sugiro que você sequer tente consultá-los/las a esse respeito. Ainda que tenham todos esses equipamentos e ferramentas, eles/elas não são obrigados a informá-lo a respeito. Além disso, ainda que tenham todos os equipamentos e ferramentas, há que se considerar, na atual conjuntura, que se algo quebrar ou deixar de funcionar eles/elas não terão condições de reparar os danos. Afinal, muitos podem perder seus estágios e empregos em razão da pandemia.
  • Ademais, é provável que muitos alunos/alunas se vejam na situação de dividir, com outros membros da família, a tecnologia a que tem acesso.
  • A despeito da suspensão das aulas, é provável que, contrariamente a uma certa lógica que parece prevalecer, eles/elas tenham menos tempo disponível para as atividades acadêmicas. A depender de seus empregos, é possível que passem a trabalhar mais horas por dia (como, por exemplo, quem se dedica a atividades ligadas à saúde, à segurança, e demais atividades básicas em um período de isolamento social).
  • Além disso, muitos de seus alunos/suas alunas estarão em casa cuidando de seus filhos/filhas (que não podem mais ficar em creches e escolas). Outros terão que cuidar de seus pais. Sem contar aqueles/aquelas que se verão na necessidade de cuidar de alguém doente na família, quando, eles/elas mesmos, não forem os infectados.
  • Finalmente, é necessário considerar que muitos estudantes perderão seus empregos e/ou suas fontes de renda
 
Tudo isso implica que seus alunos/suas alunas terão, em seu dia-a-dia, questões mais importantes para se preocupar do que com sua disciplina, ainda que consigam ter acesso online ao que você está propondo.
 

Caso você decida por optar por atividades à distância e ferramentas online:

  • Coloque sua energia no que for mais importante. Disciplinas eletivas são parte importante de uma boa educação, mas podem não ser absolutamente vitais, neste momento, para a futura formação dos alunos/das alunas. Alguns de nós ministramos apenas tal tipo de disciplina, ainda assim temos a capacidade de escolher no que devemos focar nossa atenção.
  • Não requeira trabalhos sincrônicos. Os alunos não precisam aparecer em um horário específico para nada. SE RECUSE executar qualquer trabalho que demande tal tipo de expediente.
  • Não grave palestras, a menos que você precise. (Isso é fundamentalmente diferente de criar um curso online, situação em que as informações gravadas são realmente importantes.) Elas são de baixa prioridade para alunos/alunas e ocupam muitos recursos, seus e deles. Você já criou um relacionamento com eles/elas, assim é desnecessário que ouçam sua voz para se lembrarem disso.
  • Grave palestras só se for essencial. Quando a informação não puder ser aprendida de outra forma, inclua uma palestra. Sua universidade já tem algum tipo de tecnologia para gravar palestras. NÃO basta gravar no PowerPoint, pois a qualidade do áudio é baixa. Enquanto muitas pessoas recomendam palestras de apenas 5 minutos, vejo que meus alunos/alunas realmente ouvem palestras mais longas. Ainda assim, lembre-se que, dado que seus alunos/alunas serão frequentemente interrompidos na audição (afinal, muitos estarão em casa com outras pessoas e tendo que lidar com questões anteriormente inexistentes), uma boa regra é um conceito por aula. Assim, em vez de, por exemplo, gravar uma palestra sobre TODAS as desigualdades de gênero no seu curso de “Introdução à Sociologia”, ofereça 5 minutos sobre desigualdade salarial (ou 15 ou 20 minutos, se for o que você precisa) e, em seguida, uma palestra separada sobre o #MeToo e uma terceira sobre violência doméstica. Não deixe de colocar legendas, usando o software de gravação de vídeo que sua universidade fornece. Observe que o YouTube também permite colocar legendas. Agora, se você não precisar incluir imagens, desconsidere a gravação de um vídeo e faça um podcast.
  • Não se preocupe muito com os vídeos ou gravações. Você não precisa editar os “hmms” ou o carteiro tocando a campainha. A edição é uma perda de tempo no momento.
  • Permita que todo o tipo de avaliação possa ser realizado mais de uma vez. Avise aos seus alunos/suas alunas que, se tiverem alguma dificuldade técnica ou problemas decorrentes de questões cotidianas, eles/elas terão outras oportunidades de fazê-lo.
  • NÃO exija que alunos/alunas sejam monitorados online durante avaliações. Eles/elas NÃO concordaram com isso quando se inscreveram no seu curso presencial. Além disso, eles/elas estão na privacidade de suas casas, às vezes com crianças que os/as interrompem. Pode ser impossível para eles/elas fazerem um teste ou permanecerem conectados sem interrupção.
  • Lembre-os dos prazos. Você não aprecia o SMS do seu dentista, lembrando-o de que tem uma consulta amanhã? Seu sistema de gerenciamento de aprendizagem possui um mecanismo que permite escrever um anúncio agora e publicá-lo mais tarde. Ao colocar seus materiais online, escreva um comunicado lembrando-os da data de entrega dos trabalhos, a ser divulgado 24 horas antes do prazo. No dia de entrega, envie uma mensagem para todos lembrando-os do prazo.
  • Alerte-os sobre qualquer material que não seja apropriado para crianças assistirem, incluindo marcadores de minutos para cenas de violência ou nudez. Mais uma vez, você precisa presumir que eles/elas estão fazendo seu trabalho com crianças por perto.
  • Se puder, opte por avaliações mais concisas e simplificadas, tento em consideração tanto a sua situação quanto a de seus alunos/ suas alunas. Valorize resultados mesmo que incompletos.
  • Não faça muito. No momento, seus alunos/suas alunas não precisam disso. Eles/elas precisam, isso sim, de tempo para lidar com tudo o mais que, neste momento, é vital para que possam tocar a vida.
  • Ouça seus pedidos de ajuda. Eles/elas podem estar ansios@s, cansad@s, atordoad@s com problemas em suas casas e famílias. A universidade é, para muitos, um lugar seguro, um espaço em que podem se distanciar de dificuldades da vida cotidiana. Seu curso pode ser muito importante se tiverem condições de acompanhar e se concentrar, mas, na atual conjuntura, suas aulas podem não ser prioridade frente a todos os problemas e dificuldades trazidos pelo isolamento social e demais consequências advindas da pandemia.
___________________
Esses conselhos são muito diferentes daqueles que eu compartilharia caso você estivesse criando um curso online. Espero que sejam úteis e, para aqueles que estão pensando em adotar atividades e aulas online, espero que ajudem a entender as especificidades, e diferenças, da proposição de uma disciplina verdadeiramente online.