São Paulo, 14 de março de 2020
Ao
Prof. Dr. Vahan Agopyan
Reitor da Universidade de São Paulo
 
Diante da pandemia de coronavírus que se alastra no mundo e no Brasil, especialmente em São Paulo, o Sintusp e a Adusp vêm através desta destacar o que segue:
 
1- Na USP já houve dois casos confirmados, sendo que um deles, de um estudante de Geografia que, ao receber atendimento inicial no HU, foi dispensado sem que houvesse recomendação de quarentena, o que o fez seguir o convívio na universidade, entrando em contato com diversos outros membros da comunidade universitária.
 
2 - Houve orientação das autoridades de saúde do estado, comunicada pelo governador, que orienta suspensão das atividades nas universidades a partir da próxima segunda-feira, dia 16 de março. Em nota, o Cruesp indica a terça-feira para início da suspensão das atividades nas três universidades estaduais paulistas.
 
3 - Segundo as autoridades de saúde, já está comprovado que há transmissão comunitária no estado, o que significa que o vírus já circula sem ser possível identificar a origem do contágio. Nesse estágio, as medidas de quarentena e redução do contato social são fundamentais, pois o contágio pode se dar inclusive no percurso ao local de trabalho. Pelo exposto acima, reivindicamos que seja garantida a suspensão de todas as atividades, inclusive as técnicas e administrativas, e propomos uma reunião na próxima segunda-feira entre a Reitoria e as diretorias do Sintusp e da Adusp para discutirmos os detalhes desse fechamento a partir de terça-feira. A suspensão deve garantir o mesmo tratamento para estudantes, professoras/es, funcionárias/os autárquicas/os, celetistas ou terceirizadas/os, sem qualquer prejuízo, inclusive de salários e benefícios. Devemos elaborar conjuntamente um plano de contingência que inclua toda a comunidade da USP, sem discriminação. Entendemos que há atividades que não poderão ser interrompidas, tais como, hospital universitário, segurança, atividades dos laboratórios de pesquisa que, por exemplo, mantêm cepas de células ou animais de experimentação, entre outras. No entanto, não nos parece razoável que se estabeleça condutas que privilegiem alguns setores da comunidade e, por isso, acreditamos que podemos contribuir com a construção de medidas que sejam democráticas e universais, estendidas a todas e todos. Cabe ainda destacar que muitas/os estudantes dependem da estrutura da universidade para se manter. 
 
Gostaríamos de discutir como a Reitoria garantirá recursos mínimos para esses estudantes, sem desconsiderar segurança de funcionárias/os.
 
Sabemos que a situação é bastante complexa e grave, por isso, estaremos na porta da Reitoria às 9h. Esperamos ser recebidas/os pelo reitor Vahan para que nossas demandas sejam ouvidas e incluídas no plano de contingência.
 
Diretorias do Sintusp e da Adusp