Nota da Adusp

A Associação dos Docentes da USP vem a público externar seu mais firme apoio à greve dos professores da rede estadual de ensino, iniciada no dia 13 de março último. Trata-se de um movimento justo, que luta pela valorização do professor e da educação pública.

O governo estadual acaba de fechar quase 3.400 salas de aula e deixar sem contrato mais de 20 mil professores temporários, mostrando profundo desprezo pela população pobre, principal beneficiária do ensino público, e pelos educadores.

Os professores da rede estadual lutam para equiparar os seus salários aos vencimentos das demais categorias de nível superior, bem como para adequar sua jornada de trabalho à jornada prevista na Lei do Magistério (“Lei do Piso”).Também lutam para que o governo aceite desmembrar as classes superlotadas, fruto do fechamento de salas de aula.

É inaceitável que o governo Alckmin ofereça reajuste zero, ao invés de negociar seriamente com a categoria em greve. Em contraponto a tal intransigência, o movimento demonstra força e cresce depois das massivas manifestações organizadas pela Apeoesp-Sindicato em 27 de março.

A Adusp solidariza-se com os professores da rede estadual e exorta o Palácio dos Bandeirantes a, sem mais demora, abrir negociações efetivas e rever as medidas que a Secretaria da Educação vem tomando, as quais, caso persistam, causarão enormes prejuízos ao sistema estadual de ensino fundamental e médio e à educação de jovens e adultos (EJA).

Diretoria da Adusp
30 de março de 2015