Centenas de milhares de manifestantes voltaram às ruas de todo o Brasil no último sábado, 24/7, para expressar sua indignação e repúdio ao governo de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão, exigir impeachment imediato, vacinação e auxílio-alimentação, contra a PEC 32 (reforma administrativa), além de outras reivindicações. Em todas as capitais brasileiras houve atos de protesto pelo #Fora Bolsonaro. Foram registradas manifestações em quase 500 cidades do país e em várias capitais do exterior.

O portal jornalístico UOL relatou que em Maceió o protesto “teve como um dos alvos o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que mora na cidade. Cartazes cobraram a abertura do processo de impeachment contra Bolsonaro”. Da mesma forma que seu antecessor no cargo, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Lira até agora engavetou sucessivos pedidos de impeachment, em número que na última contagem já se aproximava de 130.

Em São Paulo novamente a Avenida Paulista concentrou a manifestação, que teve como epicentro o MASP. Estima-se que tenham participado cerca de 100 mil pessoas. Mais uma vez, a Adusp e docentes da USP estiveram presentes.

Na antevéspera do #24J, o general Braga Netto, ministro da Defesa, somou-se às ameaças que o presidente da República vem fazendo de que sem aprovação pelo Congresso Nacional da instituição do voto impresso “não haverá eleição em 2022”. Aliás, na mesma data dos protestos pelo impeachment, Braga Netto e Bolsonaro saíram para um passeio de motocicleta em Brasília.

Utilizamos cookies

Utilizamos cookies neste site. Você pode decidir se aceita seu uso ou não, mas alertamos que a recusa pode limitar as funcionalidades que o site oferece.