A Frente em Defesa do Serviço Público de Ribeirão Preto, um coletivo de entidades sindicais dos servidores públicos federais, estaduais e municipais, lançou nesse 1º de maio o movimento “Servidores Públicos Contra a Fome”. As entidades reuniram recursos e compraram 500 cestas básicas, que foram entregues a comunidades da cidade. O lançamento do projeto aconteceu na chácara da Associação dos Servidores do Poder Judiciário (Assojuris) e beneficiou moradores da Cidade dos Trabalhadores, Comunidade da Vó, Comunidade João Goulart e acampamento Plantio Verde, Comunidade da Paz e Comunidade Nazaré Paulista.

Cestas básicas na sede da Assojuris, antes da distribuição às famílias

“Essa ação solidária é apenas o primeiro passo. Nas semanas seguintes as entidades começam a organizar a arrecadação de alimentos entre suas categorias, já que a fome, depois da pandemia, virou um segundo flagelo em nosso país”, diz boletim da Frente, que surgiu como “contraponto às propostas dos governantes federais, estaduais e municipais de acabarem com o Serviço Público brasileiro, incluindo a saúde, educação e segurança pública”.

As entidades que compõem a Frente em Defesa do Serviço Público de Ribeirão Preto — Adusp, Affazerp, Apeoesp, Assojuris, Sinafresp, Sindluta, Sindifisco, Sintusp, Travessia —  lutam contra iniciativas que estão no Congresso Nacional, como a “reforma administrativa” do governo Bolsonaro (PEC 32/2020), bem como contra medidas do governo Doria e do prefeito Duarte Nogueira Jr. (ambos do PSDB) que vão no mesmo sentido.

“A ação é uma resposta das entidades sindicais de Ribeirão Preto em um momento de gravíssima crise social e sanitária, com mais de 14 milhões de desempregados e mais de 100 milhões de pessoas atingidas pela insegurança alimentar”, diz a professora Annie Schmaltz-Hsiou, 2ª vice-presidente da Adusp. “A solidariedade de classe é fundamental, mas além disso precisamos seguir exigindo medidas como auxílio emergencial decente e distribuição de alimentos por parte dos governos”.

A quem recebe as cestas básicas, a Frente está entregando um folheto cuja finalidade é esclarecer os grandes danos que a PEC 32/2020 causará ao Serviço Público e à população, principalmente a mais necessitada, e uma cartilha com as Tirinhas da Niara, uma publicação da Campanha “Tributar os Super Ricos”, que mostra uma das saídas para buscar recursos e solucionar os graves problemas brasileiros. O enfrentamento da crise sanitária ganha destaque, igualmente: “Por isso não há outra saída: Vacina para todos já! Auxílio emergencial de R$ 600 já!”.

“Essa primeira fase foi feita com recursos das entidades. Agora teremos uma segunda fase da campanha solidária. As entidades vão arrecadar alimentos, roupas e cobertores, pode ser também dinheiro para ser revertido em alimentos”, explica o jornalista Luís Ribeiro, diretor regional do Sintusp. “Aqui na USP Ribeirão unimos Adusp, APG e Sintusp. As sedes da Adusp e Sintusp ficarão abertas uma vez por semana, um dia cada uma, para receber doações. Estamos fazendo faixas para colocar na frente das sedes”.