A Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo (Adusp) vem a público manifestar sua solidariedade aos sobreviventes e às famílias das presumíveis centenas de vítimas fatais do rompimento de barragem ocorrido no dia 25 de janeiro em Brumadinho (MG). Até agora foram localizados os corpos de 99 pessoas. As equipes de resgate procuram mais de 250 pessoas que permanecem desaparecidas.

A Adusp homenageia, igualmente, a memória dessas vítimas, na sua quase totalidade trabalhadores e trabalhadoras a serviço da Vale S.A. ou de empresas por ela contratadas, além de moradores das redondezas.

Por outro lado, a Adusp junta-se àqueles que pedem a imediata e implacável apuração de responsabilidades dos altos dirigentes da Vale S.A., bem como dos agentes públicos de todos os escalões incumbidos da fiscalização dessa atividade econômica, frente aos inúmeros indícios e denúncias de que houve negligência criminosa no monitoramento da barragem de resíduos que se rompeu.

Especialmente depois do que ocorreu em Mariana (MG) em 2015, em acidente semelhante, é intolerável que o poder econômico continue a exibir sua desfaçatez e a colocar em risco populações inteiras em nome do lucro, ao invés de optar pelas medidas de segurança necessárias para preservar a vida e o meio ambiente.

São Paulo, 31 de janeiro de 2019