A Assembleia Geral da Adusp de 16/6 manifesta seu mais veemente repúdio à recusa da Reitoria em dialogar com o movimento docente.

Em 14/6, os docentes reunidos em assembleia decidiram caminhar até a Reitoria para reivindicar respostas a duas solicitações de agendamento de reuniões, que visavam a tratar de temas de interesse da categoria e da universidade, até aquele momento não respondidas.

Quando os docentes chegaram ao prédio da Reitoria, foram impedidos de sequer entrar no saguão, tendo sido obrigados a permanecer do lado de fora do prédio. Após algum tempo, cópias dos ofícios solicitando as reuniões foram entregues, por uma fresta, a um funcionário do gabinete do Reitor em exercício. Quase uma hora depois, a resposta assinada pelo Chefe de Gabinete foi entregue pelo mesmo funcionário, pela mesma fresta, com a negativa para as solicitações.

A recusa da Reitoria em sequer ouvir o conjunto de docentes ali presentes deixa clara, mais uma vez, sua absoluta indisposição ao diálogo e ao debate de ideias. Essa postura é incompatível com a gestão de uma Universidade Pública, que deveria representar os interesses da instituição frente ao governo do Estado e a sociedade, dialogando com o corpo da universidade.

São Paulo, 17 de junho de 2016

Assembleia Geral da Adusp-S. Sind.

Banner Ribeirão

Privatização / Conflito de interesses / Fundações

A pedido do reitor, tropa de choque da PM agride manifestantes

Ato de repúdio à violência institucional e policial na USP

Crise de Financiamento das Universidades de São Paulo

Audiência Pública na Alesp em 15/5/2017